Proteção multinível da liberdade sexual: crime de violação no direito internacional e o caso Bemba Gombo

Felipe Augusto Lopes Carvalho

Resumen

O presente trabalho objetiva analisar, à luz da proteção multinível dos direitos humanos, a evolução do tratamento conferido pelo direito internacional penal aos crimes de natureza sexual, em especial à violação, desde a sua gênese nos primeiros documentos do moderno direito de guerra, Convenções de Haia e Tribunais Militares pós-Segunda Guerra, passando pelas contribuições materiais e processuais dos tribunais penais ad hoc para antiga Iugoslávia e Ruanda, até chegar ao Estatuto de Roma do Tribunal Penal Internacional (TPI). Por fim, analisar-se-á o caso Jean Pierre Bemba Gombo, recentemente julgado pelo TPI, e as contribuições e retrocessos que podem ser observados nesse julgamento para o desenvolvimento da jurisprudência internacional sobre o tema.

Palabras clave

crimes sexuais; direito internacional penal; Tribunal Penal Internacional; Bemba Gombo; justiça

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias

Amann, Diane Marie, “In Bemba and Beyond, Crimes Adjudged to Commit Themselves”, EJIL TALK!, 2018. Disponível em: https://www.ejiltalk.org/in-bemba-and-beyond-crimes-adjudged-to-commit-themselves.

Buss, Doris, “Rethinking Rape as a Weapon of War”, Feminist Legal Studies, vol. 17, núm. 2, 2009.

Clark, Janine Natalya, “The First Rape Conviction at the ICC”, Journal of International Criminal Justice, Oxford, vol. 14, núm. 3, 2016.

Ferreira de Almeida, Francisco, Direito internacional público, 2a. ed., Coimbra, Coimbra Editora, 2003.

Ferreira de Almeida, Francisco, Os crimes contra a humanidade no actual direito internacional penal, dissertação para doutoramento em Ciências Jurídico-Políticas pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Coimbra, 2007.

Fidalgo, Sofia, “Os crimes sexuais no direito internacional penal”, Boletim da Faculdade de Direito, Coimbra, vol. 83, 2007.

Fiske, Lucy e Shackel, Rita, “Ending Rape in War: How far Have We Come?” Cosmopolitan Civil Societies, Sydney, vol. 6, núm. 3, 2014.

Fitzgerald, Kate, “Problems of Prosecution and Adjudication of Rape and other Sexual Assaults under International Law”, European Journal of International Law, vol. 8, núm. 4, 1997.

Goethe-Institut de Lisboa, Direito penal internacional para a proteção dos direitos humanos, Lisboa, Fim de Século Edições, 2003.

Joseph, Sarah e Kyriakakis, Joanna, “The United Nations and Human Rights”, Joseph, Sarah e Mcbeth, Adam (eds.), Research Handbook on International Human Rights Law, Cheltenham, Edward Elger, 2010.

Kaul, Hans Peter, “The Protection of Human Rights through the International Criminal Court as a Contribution to Constitutionalization and Nation–Building”, Human Rights-International Criminal Court, The Hague, 2011. Disponível em: https://www.icc-cpi.int/NR/rdonlyres/33E021F0-8672-4210-8170-90E380A1AA1/282948/FINAL_Speech_Panel3_ICC_Features_Challenges.pdf.

Machado, Jónatas, Direito internacional: do paradigma clássico ao pós-11 de setembro, 3a ed., Coimbra, Coimbra Editora, 2003.

Manning, Colin, Development of International Criminal Law of Sexual Violence, SSRN, 2016. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=2728700.

Mazzuoli, Valério de Oliveira, Curso de direito internacional público, 10a. ed., São Paulo, Revista dos Tribunais, 2016.

Njoroge, Fraciah Muringi, “Evolution of Rape as a War Crime and a Crime against Humanity”, SSRN, 2016. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=2813970.

Paulus, Andreas, “Do direito dos Estados ao direito da humanidade? A instituição de um Tribunal Penal Internacional e o desenvolvimento do Direito Internacional”, Direito Penal Internacional para a Proteção dos Direitos Humanos, Lisboa, Fim de Século Edições, 2003.

Petrossian, Gurgen, “Elements of Superior Responsibility for Sexual Violence by Subordinates, Manitoba Law Journal, Winnipeg, vol. 42, núm. 3, 2019.

Piovesan, Flávia e Kamimura, Akemi, “Proteção internacional à diversidade sexual e combate à violência e discriminação baseadas na orientação sexual e identidade de gênero”, Anuario de Derecho Público, Santiago de Chile, núm. 1, 2017.

Quitter, Bridget, “Rape as a War Crime–Prosecution of Sexual Violence in the International Community”, SSRN, 2013. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=2498208.

Sacouto, Susana e Sellers, Patricia Viseur, “The BEMBA Appeals Chamber Judgment: Impunity for Sexual and Gender-Based Crimes”, William & Mary Bill of Rights Journal, Williamsburg, vol. 27, núm. 3, 2019.

Sadat, Leila, “Fiddling while Rome Burns? The Appeals Chamber’s Curious Decision in Prosecutor v. Jean-Pierre Bemba Gombo”, EJIL TALK!, 2018. Disponível em: https://www.ejiltalk.org/fiddling-while-rome-bums-the-appeals-chambers-curious-decision-in-prosecutor-v-jean-pierre-bemba-gombo.

Souza, Jefferson Lima de, “O diálogo entre o Tribunal Constitucional Português e o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem e seu impacto na proteção dos direitos fundamentais”, em Martins, Ana Maria Guerrra (coord.), A proteção multinível dos direitos fundamentais: estudos sobre diálogo judicial, Lisboa, AAFDL, 2019.

Steiner, Sylvia, “Discurso de abertura”, em Albuquerque, Paulo Pinto e Silva, João Miguel (orgs.), O Tribunal Penal Internacional e a transformação do direito internacional, Lisboa, Universidade Católica Editora, 2006.

Whiting, Alex, “Appeals Judges Turn the ICC on its Head with Bemba decision”, Just Security, 2018. Disponível em: https://www.justsecurity.org/57760/appeals-judges-turn-icc-head-bemba-decision.

Zorrila, Maider, La Corte Penal Internacional ante el crimen de violencia sexual, Bilbao, Universidad de Deusto-Instituto de Derechos Humanos, 2005.

Enlaces de Referencia

  • Por el momento, no existen enlaces de referencia